04-09-2012 – Remanejamento de PMs: Homens de Niterói e São Gonçalo vão para UPPs

Até o fim de semana, 160 dos 588 PMs formados ontem devem ir para o 12º BPM. Foto: Palácio Guanabara / Marcelo Horn
Até o fim de semana, 160 dos 588 PMs formados ontem devem ir para o 12º BPM. Foto: Palácio Guanabara / Marcelo Horn

Por: Daniel Braga 04/09/2012
Comissão de Segurança Pública e Assuntos de Polícia da Alerj deve votar requerimento que solicita uma audiência pública para esclarecer o remanejo dos policiais militares

A Comissão de Segurança Pública e Assuntos de Polícia da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) deverá votar, nesta semana, o requerimento do deputado estadual Paulo Ramos (PDT), que solicita uma audiência pública com o secretário de Estado de Segurança José Mariano Beltrame e o comandante-geral da Polícia Militar (PMERJ), coronel Erir Costa Filho, para esclarecimentos sobre o remanejo de policiais lotados no 12° BPM (Niterói) e no 7º BPM (São Gonçalo) para Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), no Rio.

“É um absurdo. Houve reforço do policiamento, em Niterói a Prefeitura contratou homens por meio do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis) e agora pode perder 100 agentes, enquanto em São Gonçalo seriam 200. É a política do cobertor curto? Queremos explicações. Após aprovado o ofício enviado ao presidente da comissão, deputado Zaqueu Teixeira (PT), a audiência deverá acontecer até quarta-feira (12)”, disse Paulo Ramos.

O parlamentar articulou a proposta a partir de uma nota de repúdio à medida, divulgada pela Câmara de Segurança da Região Oceânica (CSRO) na última semana. “Está acontecendo. Onde estão motos e Patrulhamentos Táticos Móveis (Patamos) destinados à Região Oceânica quando a criminalidade na cidade aumentou? São 30 homens com ordem de retirada. Vamos fazer de tudo para impedir, mobilizar os moradores e todos os envolvidos”, protestou Renan Lacerda, presidente da CSRO.

Por sua vez, o comandante do 7° BPM (São Gonçalo), coronel Luiz Eduardo Freire, que seria um dos prejudicados com o remanejo, classificou a iniciativa como normal. “Temos troca de turmas. Os recrutas se formam e nos são enviados para adquirirem experiência, depois vão para as UPPs. Nesta semana receberei 200 agentes, pois essa tem sido a política do governo. Entretanto, não há perda de efetivo, apenas uma permuta”, explicou.

Procurado, o comandante do 12° BPM (Niterói), Wolney Dias, não foi encontrado para comentar a possível perda de efetivo do batalhão. Já a assessoria da PMERJ detalhou que, até o fim da semana, 160 dos 588 policiais formados ontem, no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), “serão deslocados para cumprir estágio prático-operacional em Niterói”.

“Outros 160 devem ir para São Gonçalo. Além disso, há 465 agentes trabalhando pelo Proeis para a Prefeitura Municipal de Niterói e 33 homens para a concessionária das barcas. O Regime Adicional de Serviços (RAS) está empregando, também, um reforço diário de 50 policiais para a cidade”, acrescentou a nota da PMERJ.

Fonte: Jornal O FLUMINENSE

2 comments

  1. A Região oceanica de Niteroi Já esta acostumada!!!

    Quando aumenta o numero de assaltos e crimes na Região
    e a sociedade organisada, se une, chama a imprença ai
    o poder publico, aparece para nos termos a sensação de
    segurança.Logo depois vão embora e volta tudo como era
    antes. Roubos de carros e arrombamentos no Cafubá,assaltos a casas em Piratininga e por ai vai.

  2. SÓ TEMOS UMA SOLUÇÃO. NOS ORGANIZARMOS E VOLTARMOS ÀS RUAS. SÓ A UNIÃO DOS MORADORES DA R.O. PORÁ FIM A ESTE DESCASO.
    TAMOS JUNTOS.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *