09.07.2015 – Conselho de Segurança quer a volta do patrulhamento escolar

Marina Assumpção

Pedido será feito às autoridades na próxima reunião com representantes da sociedade

Tiroteio que assustou alunos de escola em Charitas motivou o pedido Júlio Silva
Tiroteio que assustou alunos de escola em Charitas motivou o pedido Júlio Silva

O Conselho Comunitário de Segurança de Niterói irá reivindicar a volta do patrulhamento escolar para as unidades de ensino do município. A iniciativa foi tomada após um tiroteio entre criminosos do Morro do Preventório e agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil, que assustou alunos e professores do Ciep 449, Lionel de Moura Brizola, conhecido como Brasil-França, no bairro de Charitas, em Niterói, na tarde da última terça-feira, dia 7.

Segundo o presidente do Conselho Comunitário de Segurança, Moacyr Chagas, o assunto será discutido na próxima reunião, agendada para esta semana.

“Vamos colocar em pauta a reativação do projeto de Patrulha Escolar, com o auxílio da Guarda Municipal ou da Polícia Militar monitorando os arredores dos colégios da cidade, acredito que isso já evitaria essas situações de risco”, argumentou. O presidente diz ainda que o confronto é resultado de um reflexo do baixo efetivo da polícia na cidade.

“A delegacia responsável pela área de Charitas é a 79ª DP (Jurujuba), que é a unidade com menor efetivo da cidade. Contamos atualmente com 22 policiais, um déficit de 44% no efetivo real. Além disso, o efetivo do 12º BPM (Niterói) também sofre com o mesmo problema. Precisamos de mais atenção para esta delegacia, para que problemas como este não voltem a acontecer”, argumenta.

Pais e alunos contam que estão com medo. A troca de tiros aconteceu por volta das 14h30 em um dos acessos ao Preventório. Segundo a mãe de uma estudante do colégio, este tipo de situação costuma acontecer frequentemente, e até uma reunião foi convocada pelos pais para abordar este assunto com a diretora responsável pela unidade.

“É o primeiro ano da minha filha nesta escola e isso já aconteceu pelo menos umas cinco vezes. É muito triste, pois os alunos ficam muito assustados. Desta última vez foi a pior, pois o confronto foi muito próximo à escola e muitos estudantes ficaram nervosos, minha filha mesmo acabou desmaiando com a situação”, conta. Ainda segundo ela, a escola continuou em funcionamento após o ocorrido, porém todos os alunos foram liberados e os pais avisados através de e-mail, o que costuma ser um procedimento comum diante de problemas.

O comando do 12° BPM (Niterói) informou que vem intensificando o policiamento nas áreas de maior incidência de roubos, com rondas de viaturas, policiamento a pé, motocicletas e blitz em pontos estratégicos para prevenir a ação de criminosos.

Em nota, a Secretaria Estadual de Educação (Seeduc) declarou que qualifica os seus funcionários para que aprendam a lidar com a situação contando com o programa Comportamento Mais Seguro, que, por meio de oficinas, visa orientar os servidores na unidade escolar na elaboração e implementação de Planos de Segurança que possam protegê-los da violência armada no desenvolvimento de suas atividades laborais e na vida cotidiana. Após boatos de que o Ciep mudaria de endereço, a Seeduc informou ainda que a unidade escolar permanecerá no mesmo local.

Fonte: Site do jornal O Fluminense

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *