13.11.2015 – Polícias armam cerco contra crimes em São Francisco

Ações integradas começam nesta sexta-feira nas rotas de fuga do bairro
POR PAULO ROBERTO ARAÚJO
Agência da Caixa em São Francisco teve caixa eletrônico explodido por assaltantes - Paulo Roberto Araújo

NITERÓI — Os constantes assaltos a residências, pedestres e estabelecimentos comerciais de São Francisco terão um tratamento de choque a partir desta sexta-feira, dia 13. Policiais civis e militares darão início a operações diárias nas principais vias do bairros e nos acessos às comunidades da Grota, da Igrejinha, do Cavalão e do Preventório para reprimir os assaltos e o comércio de drogas na região. Um dos focos das operações é a fiscalização de motos, veículo mais utilizado pelos bandidos que vêm praticando assaltos no bairro, como quando explodiram caixas eletrônicos da agência da Caixa Econômica Federal, na madrugada de quarta-feira.

Há duas semanas como titular da 79ª DP (Charitas), o delegado Mário Lamblet se reuniu com o diretor de Polícia do Interior, Sérgio Caldas; e, ontem, fez o planejamento das ações num encontro com o comandante do 12º BPM, coronel Fernando Salema, e com o chefe da 6ª Companhia do 12º BPM, capitão Carlos Henrique, responsável pelo patrulhamento em São Francisco e Charitas. Agentes da Polícia Civil vão participar das operações integradas com a PM para o cerco em São Francisco.
— A polícia já sabe de onde vêm os assaltantes e onde atuam os traficantes. As operações serão feitas em pontos e horários críticos tanto nos corredores principais quanto nos acessos às comunidades e em rotas de fuga. Nessa operação integrada, não daremos trégua aos bandidos. No encontro com o coronel Salema, fortalecemos a integração e a troca de informações entre os policiais civis e militares — conta o delegado Lamblet.
REFORÇO NO PATRULHAMENTO
O coronel Salema disse que a partir desta sexta o 12º BPM aumenta de um para três o número de PMs motociclistas que farão rondas permanentes em São Francisco. Os veículos foram reformados pelo comércio local. O bairro também ganha o reforço de três guarnições que farão ações preventivas e atuarão em apoio aos PMs que fazem o trabalho de rotina coordenado pelo serviço 190.
— Os oficiais da 6ª Companhia estão trabalhando em conjunto com agentes da 79ª para atuarmos na mancha criminal de São Francisco. As operações serão feitas em locais e horários diferenciados. Também vamos atuar dentro das comunidades para identificar e prender os autores de assaltos na região — promete o oficial.
De janeiro a setembro deste ano, segundo o Instituto de Segurança Pública, foram registrados 656 roubos e 426 furtos na área da 79ª DP, que abrange São Francisco. Um aumento, respectivamente, de 28,8% e 3,6% em relação ao mesmo período de 2014, quando houve 509 ocorrências de roubo e 411 de furto.
PUBLICIDADE
Moradora do bairro e integrante do grupo Amigos de São Francisco e Charitas, Marinice Machado lamenta que o serviço de câmeras instalado no Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) não atenda a São Francisco que, segundo ela, tem um alto índice de assaltos.
— Os roubos são praticados, em sua maioria, por bandidos que usam motocicletas. Na época do coronel Gilson Chagas o policiamento em São Francisco era feito por policiais motociclistas, mas eles desapareceram — lamenta.
Segundo Marinice, os moradores vão cobrar da PM a instalação da 6ª Companhia do 12º BPM (Niterói), que foi transferida para Pendotiba. Em Charitas, comerciantes e moradores reclamam da escuridão e do perigo na área onde está sendo construída a garagem subterrânea. A energia foi desligada em seis postes, cada um com quatro luminárias, no trecho em obras.
— Com a estação dos catamarãs e com a futura abertura do túnel, a circulação de pessoas vem aumentando, e o bairro precisa de um policiamento especial, principalmente nas suas ruas internas — apela.
MOTOTAXISTAS SÃO CONVOCADOS
O comandante do 12º BPM adianta que não está prevista a volta da 6ª Companhia para São Francisco:
— Numa cabine, temos que escalar pelo menos três policiais para guarnecê-la. Nós precisamos é de mobilidade no policiamento.
O delegado da 79ª DP pediu ajuda aos titulares de outros delegacias para integrar os sistemas de informações das distritais. O objetivo é aperfeiçoar o banco de dados da polícia.
PUBLICIDADE
— Em geral, o marginal que é preso por roubo tem antecedentes em outras regiões da cidade. A intenção é reunirmos um volume de provas para que ele não volte tão cedo para as ruas — diz.
Lamblet acrescenta que já convocou os líderes de mototaxistas que atuam nas comunidades.
— Todos terão que ser identificados e só poderão conduzir motocicletas que estejam em dia com o Detran — avisa.
Fonte: Site do Jornal O Globo

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *